Melhor Hoje do Que Ontem

Um dos conceitos mais importantes que eu aprendi nos últimos tempos é a filosofia dos baby steps ou passos de bebê. Mas o que é isso, você deve estar se perguntando. Já te respondo, continue lendo.

Passei a minha vida toda tentando acertar. Gastei anos fazendo de tudo um pouco até que eu descobrisse algo que me desse prazer de fazer e que pudesse se tornar a minha atividade principal.

felicidade-7-fazendo-voce-mais-feliz

O que não estava claro para mim naquela época, era que essa energia deveria ser gasta em outra coisa primeiro. Eu deveria arrumar meu próprio armário antes de iniciar qualquer empreendimento mais sério na minha vida, seja na questão pessoal ou profissional.

Muito se fala hoje em dia em buscar o autoconhecimento, pois só com ele é que as coisas se consolidam e ficam mais claras nas nossas mentes.

Deixando os jargões médicos de lado, temos um corpo físico forte e uma mente poderosa. O que não sabemos, muitas vezes, é pilotar essa aeronave. Nesse caso, mais vale buscar auxílio e aprender a pilotar do que ficar tentando fazer algo que ainda não é o seu momento ou que você ainda não esta preparado.

Nesse contexto, e voltando para os baby steps, é que devemos focar mais a nossa atenção. O dispêndio de energia deve ser o mais proporcional possível ao resultado o esperado. Aqui entra o conceito de eficiente. Devemos empregar os mínimos recursos para alcançar o máximo que planejamos.

Repare que não estamos falando de sonhos ou fantasias. Não dá para você achar que com 5 reais pode comprar um carro e, com isso, ser muito eficiente. Estamos falando de planejamento. Precisamos pensar antes de sair fazendo as coisas.

Primeiro, para não termos retrabalho. Segundo, para não empreendermos esforços desnecessários. Terceiro, para executarmos segundo o que foi planejado. E quarto, e não menos importante, para alcançarmos os nossos objetivos.

Tá bom, você deve estar pensando. Mas como eu faço isso? Aí que entram os passos de bebê. Você planeja, confere, analisa e, só nesse momento, passa a executar um pouco cada dia. Não mais.

felicidade-8-fazendo-voce-mais-feliz

Você precisa planejar entregar resultados menores que, juntos, representem o todo, o objetivo final. Quando planejamos mas não agimos de forma deliberada e passo-a-passo, aumentamos absurdamente as chances de dar errado.

Procrastinamos, entregamos menos que nos comprometemos, nos sentimos cansado, algumas vezes exaustos, e logo reunimos todas as condições para a falência múltipla do projeto. Nós mesmos o concebemos e nós próprios o destruímos.

É claro que a palavra-chave aqui é planejamento. Mas isso nós já fazemos de certa forma. O que precisamos aprimorar é  técnica de dar passos de bebê em direção ao nosso objetivo. Sem achar que é pouco, que não tem significado, ou que as pessoas não vão reconhecer o seu esforço.

Se o objetivo estiver claro e você estiver em linha reta e em sintonia com ele, os passos de bebê parecerão passos de gigante com o passar do tempo. Quem viver verá.

 

Continue Reading

Como fazer solos irados na guitarra?

Desde pequeno eu tinha o sonho de tocar guitarra. Meu pai era a minha inspiração.

solo-de-guitarra

Não que ele tocasse muito ate porque começou tarde e não tinha muito tempo para se dedicar.

Mas uma coisa eu aprendi com ele. Cada música que ele aprendia, ele repetia ate o som ficar límpinho. Ele era tarado por aquilo.

Não importava muito quantas músicas ele sabia tocar. O importante para ele era que cada música fosse tocada o mais parecido possivel com um guitarrista profissional.

Ele não era um cara orgulhoso nem vaidoso. Nao tocava em bastes, nao fazia apresentações públicas de qualquer tipo e o seu único palco era o terraço la de casa.

O som que ele tirava do instrumento era como se fosse uma terapia para ele. Quanto mais treino e mais repetição, mais perfeito ficaria. E ele gostava de sentir a perfeição, mesmo vindo de um repertório curto e simples.

Você deve estar pensando no que essa minha história pessoal tem a ver como fazer solos irados.

Então, foi com essa base familiar e musical que eu comecei a dedilhar meus primeiros acordes no violão e depois minhas paletas mais agitadas na guitarra.

Antes que vc pense que eu tenho algum dom para a música ou para a guitarra, deixe-me dizer uma coisa com todas as letras.

Se tem algo que eu não sou bom é com instrumentos de corda. A velocidade do meu pensamento não eh compatível com a velocidade da minha mão.

Eu toco de curioso, teimoso e por gostar da sensação que sinto quando toco.

Não me considero apto a tocar profissionalmente mas, incrivelmente, faço solos como poucos profissionais.

Eu uso a guitarra, da mesma forma que meu pai usava a dele, apesar dele possuir um talento muito maior do que o meu, para me acalmar da correria da vida e para me lembrar dele. Do quanto ele significou para mim e por tudo que ele me ensinou.

Deixando a parte pessoal um pouco de lado, já que ela ocupou praticamente o post inteiro, vamos as principais dicas de como aprender e fazer solos irados na guitarra.

como-aprender-a-tocar-guitarra

1. Você precisa se espelhar em alguém. Escolha um guitarrista que você adora o estilo e a qualidade musical.
2. Depois de fazer a sua escolha, assista, se possivel, todos os dias algum video dele tocando e imagine-se fazendo o mesmo.
3. Procura no golfe por exercícios educativos para solos de guitarra. Em um primeiro momento você vai achar chato fazer esses exercícios mas depois você vai me agradecer por te-los sugerido.
4. Faça os exercícios do tópico acima por, pelo menos, 20 minutos por dia. Se você não puder fazer mais, fique tranquilo que esse tempo e mais do que suficiente. Lembre-se sempre de uma coisa: seja consistente.
5. Depois que você sentir que está dominando os exercícios, e esse tempo pode varia muito de pessoa para pessoa, escolha um solo relativamente fácil e se arrisque a tocar mesmo se não se achar totalmente preparado.
6. O que determina se você vai conseguir fazer solos na guitarra como um profissional,   é a progressão que você imprime durante o aprendizado. Mas o que isso quer dizer? Mais vale você começar com solos mais fáceis e conforme for evoluindo você encia um sinal bem forte para o seu cérebro. Você está mostrando pra ele que você é capaz. Que você está em evolução. É isso que separa um amador de um profissional.
7. Agora que você já está conseguindo tocar alguns solos, você precisa, se topar o desafio, marcar uma apresentação na família. Por mais idiota que isso pareça, conversando com alguns guitarristas mais TOPs do mercado, eles me disseram que sempre faziam apresentações para amigos e familiares conforme eles iam evoluindo.

8. Se você conseguiu se apresentar, ganhou a confiança necessária e o apoio merecido para seguir em frente. Agora a ideia eh você escolher aquele solo dos teus sonhos. Aquele que você considera praticamente impossível de tocar. Aquele que quando você vê o guitarrista tocando, você pensa: “Meu Deus! Como esse cara consegue chegar nesse nível! Que velocidade animal  nas maos!”

9. Agora que você esdolheu. Precisa praticar como se esse fosse o único solo que você sabe tocar. Todo o resto serviu de base para esse momento mas é ele que vai te fazer subir consideravelmente de nível. Treine como um profissional que você será um profissional. Para que você não perca o ritmo, intercale os treinos com os educativos. Não faça outros solos para não confundir seu cérebro mas os educativos servem de pausa estratégica quando você já cansou o seu cérebro com os mesmo movimentos e com o mesmo sim. Resumindo: descanse tocando.

10. Agora que você já é quase um solista profissional, tente fechar seus olhos e lembrar de tudo que coce fez para chegar onde esta. Os treinos, a dor nas mãos, a dor nas costas, o medo de nao conseguir, a falta de tempo, etc. Mas não lembre só das coisas ruins não. Faça questão de puxar da sua memória as coisas boas que lê aconteceram nessa jornada. O rosto de surpresa das pessoas quando te viram tocar pela primeira vez, aquele solo que você aprendeu tão rapido que nem acreditou, os treinos educativos e repetitivos que tanto lhe ajudaram a chegar onde está, os novos amigos que fez durante essa jornada, etc.

Agora que você compreendeu como você pode fazer solos irados, gostaria de sugerir um curso online de guitarra para todos aqueles que desejam aprender mais, novas técnicas, em video aulas e com a didática de um professor de guitarra experiente.

curso-de-guitarra

O curso é bem acessível, pode ser parcelado em ate 12x no cartão e ainda fornece uma garantia de 30 dias a partir da compra.

Se você não ficar satisfeito por qualquer motivo, eles devolvem 100% do que foi pago. Com essa garantia não tem risco. Vale a pena conhecer o trabalho do Leandro.

Se você se interessou, clique no link do curso de guitarra.

É isso pessoal. Espero que tenham gostado do post. Ate o próximo.

Continue Reading

Falar em inglês com fluência pode determinar o seu futuro

Sempre busquei formas mais efetivas de como aprender inglês. Por isso, a minha história de aprendizado é bem interessante.

Quando eu era adolescente, meus pais insistiram para eu me dedicar ao curso de inglês, dizendo que aquele conhecimento seria muito importante para mim no futuro.

curso-de-ingles-online-para-criancas

Como quase todo adolescente, eu achava aquilo uma besteira. Com o tempo eu iria acabar aprendendo e a obrigação de ter que ir 2 ou 3x por semana para o curso, me deixavam completamente desmotivado.

Fora a metodologia que era um saco. A depender do curso, ou vc tinha que repetir 500x a mesma coisa em sala de aula ou tinha que fazer 500 exercícios muito parecidos em casa. Isso quando não tinha as duas atividades no mesmo curso. Enfim, como aprender inglês sempre foi um desafio para mim.

Aquilo era um saco. Os diálogos eram todos bobos e desmotivantes. Os professores,por sua vez, tinham que manter uma turma de 20 no mesmo nível quando na verdade a própria prova de nivelamento não nivelava tanto assim.

A turma era heterogênea, no conhecimento do inglês, na experiência anterior com outras metodologias, no objetivo que cada um tinha para si em relação ao inglês, etc.

Éramos todos colocados no mesmo saco, seguindo uma metodologia ultrapassada e, mesmo assim, era esperado resultados surpreendentes.

Infelizmente esse foi o meu primeiro contato mais sério com a língua inglesa. Desanimei e abandonei o barco.

Anos depois, quando eu estava quase terminando a faculdade, decidi prestar concurso público na minha área.

Na primeira prova que eu fiz, estava lá o ingles como uma das matérias. Não sei vocês sabe como funcionam as provas de concurso público mas na maioria delas as matérias tem um peso, de acordo com o cargo, e você precisa ficar atento a isso.

Nessa prova o ingles tinha peso 1. Ou seja, ele não interferiria tanto no resultado final quanto as matérias específicas, que tinham peso 3.

Qual o primeiro pensamento de um concurseiro inexperiente? “Ah! Blz. Nem vou estudar tanto o inglês porque não vai fazer tanta diferença no resultado final.”

Ledo engano. Eu quase não passei por causa dessa matéria. Fui bem nas outras, foi a minha sorte, mas acertei “apenas” 7 das 10 questões da prova.

O que eu não imaginava era que a galera que estava concorrendo comigo gostava de estudar inglês e o fazia por mais horas que eu. A maioria que passou nesse concurso, se não gabaritos a prova, errou apenas 1 ou, no máximo, 2.

Se eu não tivesse ido tão bem nas outras provas eu não teria passado e ficaria por pouco. Lição aprendida. Se eu quisesse prestar concursos maiores e mais difíceis, eu deveria estudar mais essa matéria.

Conclusão ate agora: “eu não estudei quando deveria e poderia, ignorei o Quênia meus pais falavam, e agora estar sendo obrigado a retomar os estudos por necessidade”.

como-aprender-ingles

A primeira coisa que eu fiz foi começar a estudar, já no dia seguinte ao resultado da prova. Comprei uma boa gramática e comecei a fazer provas anteriores. Acabei adotando esse método porque me deixaria mais ficado em provas de concurso e essa era uma forma de recomeçar o estudo de uma forma diferente, mais lúdica, mais adequada a minha realidade e condizente com o meu maior objetivo: gabaritar a proxima prova de ingles!

Adiantando um pouco mais a história, levei alguns anos ate chegar no nível que estou hoje. Melhorei bastante o meu desempenho nas provas mas ainda precisava melhorar o meu entendimento e a minha fala para conseguir me comunicar efetivamente em inglês.

Graças a minhas evolução profissional, sempre tendo o ingles como base, consegui fazer aulas particulares de inglês. Logo nos primeiros meses, constatei um aumento considerável no meu entendimento. Eu já conseguia compreender mas meu cérebro ainda nao estava preparado para processar tudo aquilo e, com a rapidez do pensamento, reproduzir na fala tudo que eu gostaria de dizer.

Foram mais alguns anos até que fluência viesse.

Mas ela veio de um modo meio diferente. A impressão que eu tenho é que o tempo voou. Eu dormir um dia e acordei no outro ia conseguindo me fazer entender e expressando quase tudo que eu estava pensando. Incrível.

Eu sabia que aquele momento não foi instalando assim mas a sensação era boa e o mais importante naquele momento era o resultado.

Eu consegui atingir o meu objetivo. Mesmo depois de adulto, eu consegui aprender a me comunicar em inglês de forma plena.

melhor-curso-de-ingles-online

Eu não era o melhor do meu curso mas conseguia me virar bem.

Depois disso, um mundo se abriu. Troquei de área na minha empresa, fiz viagens internacionais a trabalho, comecei a ler livros grandes em inglês, passei a ouvir podcasts, etc.

Entendia o que estava sendo dito e conseguia raciocinar em cima daquilo e produzir novos conhecimentos.

Aquilo era tudo que eu sempre sonhei!

Espero que vocês tenham gostado de ler a minha experiência no aprendizado de inglês e para quem precisa de um curso que atenda as exigências da vida que a gente leva hoje mas ao mesmo tempo te sentida a base quem um bom curso de inglês tem, eu recomendo o Inglês do Jerry.

A metodologia dele é excelente e como as vídeo-aulas ficam disponíveis no site do curso, você pode assistir quantas vezes quiser, pode voltar, avançar, etc.

O Jerry acredita tanto na experiência passada no curso que ele ainda dá aos seus alunos uma garantia de 30 dias após a compra do curso.

Sinceramente, eu nunca vi nada parecido com isso. Você tem acesso ao curso e, se não gostar, ele devolve 100% do seu dinheiro. Se você ficou interessado, acho que vale a pena conhecer o curso e aprender inglês de uma vez por todas.

Continue Reading

Meu corpo está voltando ao normal após a gravidez

Eu sempre fui uma mulher cuidadosa com o meu corpo. Sempre tentei manter meu peso dentro do ideal e a alimentação para mim sempre foi fundamental.

Logo que eu engravidei da Julia, eu já comecei a me preocupar e a me enquadrar em um plano alimentar que eu pudesse nutrir a minha filha mas ao mesmo tempo manter meu peso.

Nunca fui neurótica por malhação mas sempre gostei de fazer algumas aulas coletivas na academia. Localizada, step, jump, abdominais … Algumas aulas eram mais difíceis que outras mas nem por isso eu deixava de tentar.

Como o início da gravidez, as coisas ficaram um pouco mais complicadas. Meu médico não me liberou totalmente para fazer exercícios, então eu precisava me movimentar de alguma forma, sem comprometer a minha gravidez.

Nos primeiros meses, todo cuidado é pouco e, para mim, aquela gravidez era um sonho. Eu não podia correr nenhum risco.

Com o passar do tempo, fui ganhando confiança e meu médico começou a me liberar certos tipos de atividade. Logo que a liberação era dada, eu aproveitava e já iniciava, por mais leve que fosse.

Hidroginástica, yoga, alongamento, exercícios funcionais, um pilates bem leve e até uma pequena musculação.

A verdade é que apesar dos exercícios, eu acabei aumentando o meu peso bem mais do que eu gostaria. Foram 16 kg a mais no total.

E uma coisa era certa. Não se tratava da falta de exercícios e sim de um descontrole alimentar.

Foi aí que eu coloquei na minha cabeça que custasse o que custasse, eu encontraria um programa alimentar e de exercícios que me traria meu peso de volta.

Graças a Deus, tudo correu muito bem com a minha gravidez. Minha filha Julia nasceu saudável, com 38 semanas. Como eu optei pelo parto normal, dias depois da gravidez eu já me sentia muito bem, como se nada tivesse acontecido.

Depois de conversar com algumas amigas e algumas poucas pesquisas na internet, descobri um programa que se enquadraria perfeitamente nas minhas necessidades.

Além do planejamento de exercícios havia um plano alimentar desenhado e acompanhado por uma nutricionista.

Isso era tudo que eu precisava. Eu já estava determinada e só precisava de um pequeno empurrão.

Uma das coisas que fez a maior diferença para mim na hora de decidir pela compra foi que o programa foi pensado, desenhado e estruturado pensando em mulheres como eu. Mulheres que haviam engordado na gravidez e que precisavam ou desejavam voltar ao seu peso de antes.

Além disso, a série de exercícios é totalmente feita em casa, no seu tempo, no conforto e na segurança do seu lar. Isso, pelo menos para mim, não tem preço.

En fim, não quero tomais mais o tempo de vocês. Fica a dica desse programa porque eu realmente acredito no seu potencial, na sua estrutura e na verdade passada pela Gabriela ao longo dos vídeos.

São várias as mamães e mulheres que estão felizes com o programa e, em sua maioria, já recuperaram o peso de antes da gravidez e já entraram nas suas roupas de magra.

Meninas, era isso. Quem quiser conhecer o programa Mamãe Sarada, clique nesse link e assista o vídeo.

Espero que gostem e, caso aceitem o desafio, voltem aqui para me contar.

Beijos e até a próxima dica.

 

 

Continue Reading